Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Galeria de imagens utilizando conteúdo padrão do joomla > Últimas notícias > REPRESENTANTES DE TODOS OS CAMPI DA UFPA SE REÚNEM NA XXX REUNIÃO DO FÓRUM DOS COORDENADORES.
Início do conteúdo da página

REPRESENTANTES DE TODOS OS CAMPI DA UFPA SE REÚNEM NA XXX REUNIÃO DO FÓRUM DOS COORDENADORES.

Acessos: 537

Os debates da XXX Reunião do Fórum dos Coordenadores dos Campi da UFPA, no Campus do município de Altamira, iniciaram-se na última segunda-feira, 30 de outubro. O evento, com duração de dois dias, tem como objetivo proporcionar um encontro entre todos os coordenadores dos campi, promovendo o debate de ideias e o alinhamento das políticas de ensino da Universidade Federal do Pará.

Para compor a mesa de abertura, representando o reitor Emmanuel Tourinho, o vice-reitor professor Gilmar Silva, convidou os pró-reitores de Extensão (Proex), Nelson de Souza Junior; de Ensino de Graduação (Proeg), Edmar Costa; de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesp), Rômulo Simões Angélica; de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas (Progep), Karla Andreza de Miranda; além dos representantes das Pró-Reitorias de Planejamento (Proplan), Raimundo Almeida; e de Administração (Proad), Daniel Serique; e a coordenadora do Campus de Altamira, Maria Ivonete da Silva.

Ao abrir oficialmente o primeiro dia de debates, o vice-reitor professor Gilmar Silva ressaltou a importância da realização de eventos que englobam todos os campi da UFPA.  “Este fórum é instrumento importantíssimo para todos da Universidade, é nele que fazemos uma reflexão a longo prazo, mais planejada e mais estruturada das nossas ações. A cada fórum, temos resultados mais positivos e uma maior integração, o que é resultado do momento que pensamos coletivamente”, pontuou.

Para a coordenadora do evento e do Campus Altamira, Maria Ivonete, esse momento também é útil para que, reunidos, todos possam tirar dúvidas, fazer encaminhamentos, debater e realizar proposições para o futuro da Universidade. “O nosso objetivo é fazer com que os representantes desta Universidade Multicampi, junto com a Reitoria, consigam alinhar uma proposta em que o ensino, a pesquisa e a extensão integrem a todos”, completou Ivonete.

Capacidade Multicampi – Com representantes de todos os campi da UFPA, o vice-reitor fez questão que ressaltar o trabalho realizado por eles, como um esforço coletivo que tem proporcionado ótimos resultados para a Universidade. “Admiro muito essa predisposição que temos em todos os campi. Nós temos uma capacidade de invenção e reinvenção que é espantosa. Em qualquer um dos campi que seja visitado, podemos ver que as pessoas estão sempre buscando inovações. O tempo inteiro há uma articulação para o bem, porque querem que o campus cresça”, ressaltou Gilmar Silva.

Flexibilização Curricular – Ainda na manhã de segunda-dfeira, 30, foi realizada a exposição do pró-reitor de Ensino de Graduação, professor Edmar Costa. O tema “Flexibilização Curricular” foi escolhido pelos próprios coordenadores, uma vez que tem se mostrado como um grande desafio para o futuro da UFPA. O pró-reitor Edmar começou lembrando que a revolução tecnológica fez com que, hoje, a Universidade já não tenha o antigo status de detentora do conhecimento. E assim sendo, ela precisa adequar-se à nova realidade. “O nosso primeiro diagnóstico é que temos uma estrutura curricular muito rígida. Precisamos entender que o aluno é capaz de imprimir ritmo e direção do seu próprio curso utilizando, inclusive, um mecanismo que a UFPA já oferece, que são atividades acadêmicas, na estruturação do currículo”, explicou Edmar.

Segundo o pró-reitor, para entender o conceito de flexibilização, é necessário atualizar dois conceitos: currículo e disciplinas. “O conceito de currículo passa a não ser definido com base em disciplinas, mas em um conjunto de atividades acadêmicas. Estas estão previstas para integralizar um determinado curso de graduação. Desta forma, as atividades acadêmicas curriculares substituem o conceito de disciplinas. Podendo ser considerada atividade acadêmica curricular aquela que seja relevante para que o estudante adquira o saber e as habilidades necessárias para a sua formação”, completou Edmar.

Entender esses novos conceitos, considerar que o percurso acadêmico pode ter diferentes trajetórias, além de buscar uma forma para que essas mudanças sejam possíveis para todos os campi foram os principais pontos do debate e devem continuar sendo trabalhados e estudados para que uma implantação no futuro seja possível.

As Universidades e a crise econômica – O principal painel da programação da XXX Reunião do Fórum, “Conjuntura Econômica do País e as Perspectivas para os Campi da UFPA”, realizado no período da tarde, ficou sob a responsabilidade do reitor da Universidade Federal do Pará e presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Emmanuel Tourinho, que falou um pouco sobre todo o cenário de crise atual enfrentado pelas universidades federais do Brasil, as diferenças de investimento em educação no Brasil e em outras nações, a importância da manutenção das instituições para a sociedade brasileira, e como elas têm sobrevivido e crescido diante das restrições de orçamento.  

Embora o que ocorre dentro das universidades esteja relacionado com o que acontece no país como um todo e, portanto, seja natural que a crise também afete a educação, existem formas de evitar que este cenário de dificuldades avance aceleradamente sobre as atividades realizadas pelas instituições. Uma ação que tem dado resultado é a conquista do apoio de quem mais precisa dos serviços oferecidos pelas instituições federais: a sociedade brasileira.

“Nós somos os maiores responsáveis pela formação dos recursos humanos de mais alto nível do País; oferecemos, nos hospitais universitários, serviços de alta complexidade em áreas para as quais não há outros hospitais públicos; e nossos museus, teatros e cinemas, muitas vezes, são os únicos meios pelos quais uma parte da população tem acesso à cultura. Diante disso tudo, a sociedade compreende muito bem a importância das universidades e, com o apoio dela, já temos conseguido algumas vitórias”, pontuou o reitor.

No que diz respeito especificamente à UFPA, Emmanuel Tourinho lembrou que, com um grande esforço de gestão, a Universidade tem conseguido priorizar projetos e manter uma trajetória de avanços e crescimento, inclusive com a criação do Labinfra, da Caravana Cultural da UFPA, o incremento da assistência estudantil e diversas inaugurações de espaços concluídos recentemente. Para o reitor, é importante que projetos inovadores continuem sendo concebidos e trazidos ao debate, para que o perfil acadêmico e científico da UFPA continue avançando. “Temos discutido e informado a sociedade sobre a conjuntura que as universidades enfrentam, buscando as condições para o desenvolvimento pleno de nossa capacidade, enquanto mantemos sempre uma agenda positiva, de conquistas institucionais”, encerrou o reitor da UFPA e presidente da Andifes.

Texto: Maissa Trajano - Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Alexandre de Moraes

Fim do conteúdo da página